segunda-feira, setembro 25, 2006

-

DesCaminhos




Da minha poesia ninguem nunca quis saber.
Tanto que ate eu mesmo me esqueci
Do lugar de onde venho e de tudo que vi.
Minha palavra se perdeu no caminho de Sorocaba ,
Nos dentes de uma Vampira com o beijo envenenado.

A minha virtude eu mesmo escondi
Debaixo do travesseiro pra nao ser roubada.
Escondi e tranquei com senhas invertidas
Nos descaminhos da vida descobri que toda ela estava perdida,
E sou Eu hoje o ladrao mais avido por esse tesouro
por saber que no mundo nao existe outro
que pudesse ser meu e so’.

Nao posso mais dividir com ninguem
O que pensei que tinha de melhor.

Minha valentia eu adquiri nas tardes de todo dia,
Que corria entre os lencois coloridos que minha avo estendia
no varal do quintal onde se perdeu minha familia
Nas musicas que a radio popular repetia.

Ali, entre aqueles pedacos quentes de mundo
Eu deixei a heranca do meu sangue ,
e comigo so’ trouxe o nome
pra me perder por sabe-se la’ onde.



Vina Schneider

2 comentários:

Anônimo disse...

Perché Exuvia?
Una vecchia pelle
que os insetos tem costume de deixar pra tras após cada ciclo de metamorfoses,e essas são inúmeras

Hoje eu havia afirmado
que fazia muito frio,muito frio,nas torres graniticas fazendo alusão(a praça Granito prox de onde eu ficava,estou nomade& dentro de um temPlo(tempo)estarei mais em mim e em oportunas janelas claras
Estou Nômade Das coisas frias que me esquecem no seio da familia,Das horas frias que se esquecem no seio-ciclo dos eventos e pessoas,Estou Nomade Na troca de pelle que nos ausentam em cada um.....,Até o novo Ciclo se mostrar como vamos Des-Caminhar
Meu passo quer se aprumar invisivel,indefinido,
Mas vai tecer caminhos bem mais meus do que até então,longe das muralhas alheias que não se devem sustentar......
Intervalo
Bom ler algo de Vina, algo novo,De Vina em metamorfose,ainda que deguste a materia prima de velhas lembranças,Ricas& Velhas pelles
Teus poemas lhe são tesouros únicos,um tipo de seiva que te alimenta e que voce expele nas viradas de estação,Nos Des-caminhos da Tua lenda Pessoal.
Fazia frio´por aqui deste o ultimo Post deste Blog,hoje faz muito frio de Novo,Num Rio de janeiro atípico e a mercê de frios ainda não experimentados
A Seiva-poema Nos aquece em momentos de Estranheza Do Clima.
Dizem por ai,que no inverno,apesar de secas,as árvores não morrem,na verdade estão grávidas,apesar do SilenciO das flores
Saudações e boa sorte
Exúvia Hannar.Lorien.

Sua Lua disse...

Meu amor, qnd vc me falou q tinha poesia nova aki eu ja tava pra la de Bagda de taaanto sono (ainda to), mas nao resisti e vim aki so pra ter o gosto de tuas palavras em mim antes de adormecer. Realmente valeu a pena, gostei muito de descaminhos, vai pra a lista dos seus poemas q eu mais gosto. Eh bom ver inspiracao nas tuas palavras, pq eh de vc q eu tiro toda a minha inspiracao ultimamente. E o q vc pensou q tinha d melhor vc nao precisa dividir com ninguem, pelo menos pra mim o q vc tem d melhor ja ta explicido nos teus olhos e no nosso amor.

Escreva mais Vinicius, nao para!
te keru.